Uma carta para meu eu de daqui dez anos

Este post faz parte da blogagem coletiva do Rotaroots, um grupo de blogueiros saudosistas que resgata a velha e verdadeira paixão por manter seus diários virtuais. Para ler todas as blogagens coletivas do Rotaroots, clique aqui. Quer participar? Então faça parte do nosso grupo no Facebook e inscreva-se no Rotation.

Olá Luiza,
Devo começar dizendo que é muito mais fácil escrever para a versão passada de mim do que para a futura. Sei o que já aconteceu na minha vida, o quanto isso reverberou e o que mudou em mim. Em se tratando do futuro, entretanto, o que posso dizer?
Não sei se devo dar conselhos, até porque você sabe melhor do que ninguém que nunca aplico em minha vida aquilo que aconselho os outros a fazerem. Não sei se devo falar de como andam as coisas por aqui, porque provavelmente será uma carta enfadonha, e você conhecerá os detalhes decor e salteado (talvez até com maior discernimento do que eu poderia colocar em palavras hoje). O que tenho a te dizer, então? Acredito que a melhor ideia que me vem à cabeça é a de falar um pouco das expectativas que tenho para uma Luiza prestes a completar trinta (!!!) anos. Não deixa de ser clichê e de misturar um pouco as duas alternativas anteriores, mas é o que tem para hoje.
Espero que tenha aprendido a lidar melhor com as pessoas, tanto as conhecidas quanto as desconhecidas. Espero que, nesse processo você tenha perdido um pouco da timidez. Espero que quase não se deixe magoar, mas ao mesmo tempo exponha um pouco mais suas emoções (e, como consequência, seja menos amarga pela tristeza silenciosa). Espero que tenha se transformado, se permitido ser diferente, mudar.
Espero que tenha perdido seus medos e parado de se diminuir tanto. Espero que acredite mais em si mesma e não busque tanta perfeição em tudo que faz. Espero que se você se dê a chance de novas oportunidades, novos ares, novas pessoas. Espero que tenha descoberto melhor o que era ser jovem (mesmo que um pouco mais tarde do que de costume).
E, acima de tudo, eu realmente espero que você não crie mais tantas expectativas inalcançáveis sobre si mesma, sobre os outros e sobre a vida toda de modo geral.
Sei que você ainda vai voltar a esse texto ao longo desses próximos anos, para que a Luiza de hoje ajude a construir a Luiza do futuro. Desejo que isso aconteça com razoável frequência, aliás. E torço para que, ao longo do tempo, você vá até mesmo remodelando tudo que escrevi nessa carta.

Se puder, mande um alô. Adoraria ter uns spoilers do meu futuro pra poder aquietar meu coração, que anda tão agitado nos últimos tempos.

Nos vemos daqui dez anos!
Com amor,
Luiza

P.S.: sei que provavelmente você deve estar se lembrando do quanto eu me apavorei pela ideia de fazer vinte anos, e rindo da minha cara com seus quase trinta. Eu mereço, eu sei.

Se quiserem saber o que a Luiza de março de 2014 diria pra Luiza de 2004, cliquem aqui! =)

4 comentários sobre “Uma carta para meu eu de daqui dez anos

  1. Oi, Luh🙂
    Tbm notei o quanto foi mais difícil escrever pro meu eu futuro doq ue pro meu eu do passado.
    Sua carta foi bem parecida com a minha. Escrevi o que esperava que tivesse acontecido. Acredito que buscar a perfeição não seja de todo ruim, o problema é ficar obcecada com isso, porque quase sempre ela é inalcançavel.
    Adoro seus textos❤
    Beijos, Luizete!
    http://www.belivs.com.br

  2. Realmente, escrever para o eu do futuro é mais difícil de redigir do que uma para o eu do passado (tanto é que ainda não me atrevi a tentar fazer a minha, haha). Espero que a Luiza do futuro encontre tudo aquilo que procura. ♥

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s